skip to Main Content

Luxação Acromioclavicular

O que é a luxação acromioclavicular?

A luxação acromioclavicular é uma lesão da articulação acromioclavicular que está localizada na parte mais superior do ombro (acrômio) e na porção mais lateral da clavícula. Essa articulação é de extrema importância pois a clavícula é a única conexão do ombro com o tronco.

A articulação acromioclavicular é composta pelos ligamentos acromioclaviculares que ligam o acrômio à clavícula e pelos ligamentos coracoclaviculares que ligam o osso coracoide à clavícula. Esses ligamentos são responsáveis para estabilidade da articulação acromioclavicular e quando ocorre uma luxação acromioclavicular eles acabam sendo lesionados.

Anatomia do ombro com os ligamentos acromioclaviculares e coracoclaviculares
Figura 1: radiografia normal do ombro, vista ântero-posterior (AP).
Figura 2: imagem ilustrativa da anatomia do ombro com os ligamentos acromioclaviculares e coracoclaviculares.

Como ocorre a luxação acromioclavicular?

O principal mecanismo de trauma da luxação acromioclavicular é uma queda com trauma na região de trás do ombro, muito comum na prática esportiva, como ciclismo, futebol, skate, patins, jiu-jitsu, entre outros, em que o paciente acaba caindo sobre o ombro.

Luxação acromioclavicular | Dra. Verônica Chang
Figura 3: figura mostrando o local das lesões ligamentares nas luxações acromioclaviculares.

Quais os sintomas da luxação acromioclavicular?

Na luxação acromioclavicular aguda o paciente apresenta dor sobre a articulação acromioclavicular que fica na parte mais superficial e lateral do ombro. Movimentos como tirar a camiseta e levantar o braço costumam provocar bastante dor e em alguns casos, quando a lesão ligamentar é mais avançada, pode ser observada e palpada uma proeminência na região lateral o ombro que corresponde à parte mais distal da clavícula como na figura abaixo:

Elevação distal da clavícula | Dra. Verônica Chang
Figura 3: elevação distal da clavícula em relação ao acrômio.

Como é feito o seu diagnóstico?

O diagnóstico da luxação acromiclavicular é feito através do exame físico e confirmado com radiografias específicas. Como exceção, a ressonância magnética ou até mesmo a tomografia computadorizada podem ser necessárias para complementar a investigação.

A principal incidência radiográfica para o diagnóstico e classificação das luxações acromioclaviculares é a biacromial panorâmica na qual pode ser comparado o lado acometido com o lado normal. A depender do quanto a clavícula se distancia do acrômio (em comparação ao lado normal), pode-se inferir quais ligamentos foram lesionados e assim definir qual o tipo de tratamento indicado.

Luxação acromioclavicular | Dra. Verônica Chang
Figura 4: RX biacromial panorâmico de um paciente com luxação acromioclavicular grau V à direita.

Como é o tratamento da luxação acromioclavicular?

O tratamento das luxações acromioclaviculares depende do grau da lesão ligamentar:

  • nos tipos I e II, quando apenas os ligamentos acromioclaviculares são danificados mas os coracoclaviculares se mantém íntegros, o tratamento é conservador.
    Ligamentos acromioclaviculares danificados
  • nos tipo III os ligamentos coracoclaviculares também estão danificados e o tratamento preconizado é controverso – depende do grau de instabilidade da clavícula. Nesses casos o exame físico é essencial para se determinar o tipo de tratamento recomendado.
    Ligamentos coracoclaviculares danificados
  • nos tipo V todos os ligamentos da articulação acromioclavicular estão lesionados e a clavícula se encontra instável sendo, portanto, o tratamento cirúrgico indicado.

Como é a cirurgia para o tratamento da luxação acromioclavicular?

Diversas são as técnicas cirúrgicas para o tratamento das luxações acromioclaviculares, desde as cirurgias abertas até as por artroscopia. No entanto, o objetivo de todas elas é reposicionar a clavícula adequadamente reestabelecendo assim a anatomia da articulação acromioclavicular.

Vale ressaltar que o tratamento cirúrgico das luxações acromioclaviculares costumam apresentar bons resultados se operadas na sua fase aguda. Nos casos crônicos já é necessário o uso de enxerto do próprio paciente ou de banco de tecidos.

Como é a recuperação pós-operatória do tratamento cirúrgico da luxação acromioclavicular?

De forma geral, após a cirurgia o paciente deve permanecer cerca de 4 a 6 semanas com a tipóia, no entanto, já com 2 semanas após a cirurgia deve ser iniciada a fisioterapia. Em linhas gerais, podemos dividir a recuperação operatória da seguinte forma de acordo com o tempo de pós-operatório:

  • 2 a 8: semanas: ganho do movimento (amplitude de movimento) do ombro,
  • 2o ao 4o mês: fortalecimento progressivo
  • 4o ao 6o mês: retorno à academia e treino de movimentos esportivos
  • 6 meses: retorno à prática esportiva competitiva

Sempre procure diagnóstico, orientações médicas e um plano de tratamento individualizado. O Núcleo de Ortopedia Especializada possui especialistas renomados em todas as áreas da Ortopedia moderna. Consulte um especialista em ombro e cotovelo.

FAQ

1. Toda luxação acromioclavicular é de tratamento cirúrgico?

Não, nos casos em que os ligamentos coracoclaviculares se mantém íntegros a cirurgia não é necessária.

2. Como é o tratamento não cirúrgico/conservador da luxação acromioclavicular?

Para os tipos I e II o tratamento recomendado é o uso de tipóia por cerca de 2 semanas, uso de medicamentos para controle da dor e fisioterapia para ganho de amplitude de movimento e força.

3. Tenho o diagnóstico de luxação acromioclavicular de tratamento cirúrgico. O que acontece se eu não operar?

A principal complicação da luxação acromioclavicular é a persistência da dor na articulação acromioclavicular, podendo dificultar a prática de atividade física e a realização dos movimentos do dia-à-dia. Pode também gerar uma diminuição de força no ombro, além de prejudicar o funcionamento normal do ombro gerando um funcionamento anormal da escápula (discinesia escápulo-torácica).

4. Como saber se tenho uma luxação acromioclavicular?

Se você caiu sobre o ombro e está com dor para movimentá-lo, sugiro que vá a um ponto socorro ortopédico para que possam te avaliar adequadamente e pedir os exames de imagem pertinentes. Pode ser que você tenha apenas batido o ombro sem ter causado nenhum tipo de lesão mais significativa, porém além da possibilidade da luxação acromioclavicular, outras lesões no ombro podem ter ocorrido.

Back To Top