skip to Main Content

Lesão do Manguito Rotador

A lesão do manguito rotador é a principal causa dor no ombro, sendo o tendão supraespinal o mais afetado. Pode ser tratada com fisioterapia ou cirurgia.

O que é o manguito rotador?

O manguito rotador é um conjunto de quatro tendões que envolvem o ombro e que são essenciais para a sua estabilidade e movimentação adequada. São eles:

  • Supraespinal
  • Infraespinal
  • Subescapular
  • Redondo menor

As lesões do manguito rotador são extremamente prevalentes na população, sendo que a sua incidência aumenta com a idade, tal que 30% dos pacientes acima dos 60 anos e cerca de 60% dos pacientes acima de 80 anos apresentam algum tipo de lesão nesses tendões.

Quais os sintomas da lesão do manguito rotador?

A principal causa de dor de ombro são problemas relacionados ao manguito rotador, como nas tendinites e bursites. No entanto, as lesões do manguito rotador podem ocorrer tanto de forma assintomática, ou seja, paciente não percebe que tem a lesão, quanto de forma sintomática, sendo que nesses casos a dor é a queixa mais comum.

A dor da lesão do manguito rotador geralmente não é apenas no ombro. Na maioria das vezes ela costuma irradiar para a parte de fora do braço podendo causar também uma sensação de “peso” local. Muitas vezes, por sua vez, o paciente tem a impressão de que o problema é no braço e não no ombro em si.

A dor da lesão do manguito rotador costuma piorar ao se levantar o braço (movimentos para cima) como ao pegar objetos em prateleiras, pendurar roupas, ficar muito tempo com o braço no volante, entre outros. Muitos pacientes se queixam de uma piora importante da dor à noite, com dificuldade de encontrar uma posição para dormir e prejudicando assim a qualidade do sono. Em casos mais avançados, o paciente pode apresentar perder força e a capacidade de levantar o braço.

Quais os tipos de lesão do manguito rotador?

As lesões do manguito podem ser divididas em:

  • Lesões parciais: nessas lesões a inserção (onde o tendão gruda no osso) está de alguma forma mantida, porém, ou a parte de cima do tendão (lesão parcial bursal), ou a parte de baixo do tendão (lesão parcial articular) ou as fibras no meio do tendão (lesões intrasubstanciais) estão lesionadas.
  • Lesões completas/totais/transfixantes: nessas lesões o tendão está completamente desgrudado/desinserido do osso. É como se uma guilhotina passasse por cima de todas as fibras do tendão e ele se desprendesse por completo. Essas lesões podem ser classificadas como pequenas, médias, grandes ou extensas a depender da distância que a ponta do tendão se encontra do local de onde deveria estar.

Como ocorrem as lesões do manguito rotador?

As lesões do manguito rotador podem ocorrer de forma degenerativa, ou seja, com o passar dos anos a resistência dos tendões vai diminuindo até que o tendão se rompa, ou de forma traumática, na qual ocorre uma ruptura abrupta e aguda do tendão após algum trauma como queda da própria altura. Em ambas as formas, o tendão mais acometido é o supraespinal.

Nas lesões degenerativas, a ruptura do tendão ocorre de forma progressiva e pode ir piorando com a idade. Inicialmente a lesão é parcial e que com o tempo pode acabar progredindo para uma lesão completa/transfixante. O paciente geralmente tem uma queixa de dor mais crônica com tempos de piora e de melhora e que tende a piorar ao longo dos anos.

Já nas lesões traumáticas, a instalação da dor é aguda e costuma ser mais intensa. O paciente pode inicialmente ter associada uma perda de força e dificuldade de movimentar o ombro e que podem melhorar após algumas semanas. Contudo, a dor nesses casos costuma persistir.

Quais as causas dessas lesões?

Diversas são as causas que podem levar à lesão do manguito rotador. Podemos dividi-las em:

  • fatores genéticos: é a predisposição que cada paciente já nasce de ter alguma lesão do manguito rotador;
  • fatores mecânicos: o manguito rotador passa por dentro do ombro e as estruturas ao seu redor, como um acrômio ganchoso, podem levar a um aumento de atrito nos tendões;
  • fatores ambientais: envelhecimento, movimentos repetitivos ao longo da vida, tabagismo, diabetes;
  • fatores intrínsecos: baixa irrigação sanguínea dos tendões, processos inflamatórios como nas artrites;
  • fatores traumáticos: fraturas ou luxações do ombro que podem causar ou piorar lesões já existentes no manguito rotador.

Vale lembrar que o paciente pode apresentar mais de um dos fatores de risco acima mencionados e que, em conjunto, podem levar à lesão do manguito rotador. Por outro lado, ter algum desses fatores de risco não significa que a lesão do manguito rotador irá obrigatoriamente ocorrer, significa apenas que o risco é maior.

Como é feito o seu diagnóstico?

Existem testes no exame físico que sugerem a lesão de um ou mais tendões do manguito rotador. No entanto, o diagnóstico preciso é feito principalmente pela ressonância nuclear magnética (RNM). Contudo, a radiografia (RX) do ombro é de extrema importância pois em alguns casos a lesão do manguito rotador pode levar a alterações ósseas e, a depender, uma tomografia computadorizada (TC) do ombro é feita para uma melhor avaliação dos ossos da articulação.

RNM do ombro direito de frente (corte coronal) | Dra. Verônica Chang
Figura 1: RNM do ombro direito de frente (corte coronal). A área demarcada é o músculo e seu tendão supraespinal íntegro
RNM do ombro direito de frente (corte coronal) | Dra. Verônica Chang
Figura 2: RNM do ombro direito de frente (corte coronal) mostrando uma lesão transfixante do tendão supraespinal
RNM do ombro direito de lado (corte sagital) | Dra. Verônica Chang
Figura 3: RNM do ombro direito de lado (corte sagital) mostrando uma lesão transfixante do tendão supraespinal

Como é o tratamento da síndrome do manguito rotador?

O tratamento das lesões do manguito rotador depende se é uma lesão degenerativa ou traumática. De forma geral, as lesões traumáticas do manguito rotador costumam ser cirúrgicas, principalmente quando se trata de uma lesão completa/total/transfixante. (veja acima os tipos de lesão do manguito rotador)

Já nas lesões degenerativas, a idade do paciente, o tipo de lesão (parcial ou total) e tamanho da lesão devem ser consideradas para o seu tratamento. De forma

geral, nessas lesões degenerativas o tratamento conservador, ou seja, não cirúrgico, deve ser inicialmente indicado e ele é feito com fisioterapia, além de outras medidas para controle da dor, como uso de medicamentos e acupuntura. Nesse link da Academia Americana dos Cirurgiões Ortopédicos (AAOS) é possível ter acesso a alguns dos exercícios orientados aos pacientes com patologias que envolvem o manguito rotador:

Exercícios orientados aos pacientes com patologias que envolvem o manguito rotador
Exercícios orientados aos pacientes com patologias que envolvem o manguito rotador. Veja mais.

Em casos selecionados e quando há falha do tratamento conservador, pode ser indicado o tratamento cirúrgico das lesões do manguito rotador. Geralmente isso ocorre quando o paciente permanece com dor apesar da fisioterapia.

Como é a cirurgia para o tratamento do manguito rotador?

A cirurgia do manguito rotador na grande maioria dos casos é feita por artroscopia. Nessa modalidade pequenos cortes são feitos no ombro do paciente por onde uma câmera e instrumentos específicos são introduzidos e assim as lesões são identificadas e reparadas.

Como é a recuperação pós-operatória do tratamento cirúrgico?

De forma geral, após a cirurgia o paciente deve permanecer cerca de 4 a 6 semanas com a tipóia, no entanto, já com 2 semanas após a cirurgia deve ser iniciada a fisioterapia. Em linhas gerais, podemos dividir a recuperação operatória da seguinte forma de acordo com o tempo de pós-operatório:

  • 2 a 12 semanas: ganho do movimento (amplitude de movimento) do ombro
  • 3º ao 4º mês: fortalecimento progressivo
  • 5º ao 6º mês: retorno à academia e treino de movimentos esportivos
  • 6 meses: retorno à prática esportiva competitiva

O tratamento ideal deve ser individualizado e definido após uma avaliação médica criteriosa.
Consulte um especialista em ombro e cotovelo.

Referências:
Orthoinfo
SBCOC – Sociedade Brasileira de Cirurgia do Ombro e Cotovelo

FAQ

1. O que acontece se eu não operar o meu manguito rotador quando indicado?

A cirurgia do manguito rotador geralmente é indicada quando o paciente permanece com dor. Logo, caso não seja feita a cirurgia quando indicada, a dor pode persistir. Além disso, em casos em que a lesão é muito grande, ela pode se tornar irreparável. Com o tempo, pode ocorrer um desbalanceamento em toda a biomecânica do ombro e o paciente pode evoluir com limitações do movimento e/ou desgaste na articulação do ombro.

2. Como tratar a dor do manguito rotador?

O uso de alguns analgésicos simples, relaxantes musculares e anti-inflamatórios não hormonais e hormonais podem ajudar no controle da dor do manguito rotador. Acupuntura também pode ajudar. Mas o ideal é que você seja avaliado por um especialista e não faça a auto-medicação.

3. Ter lesão do manguito rotador significa que precisarei de cirurgia?

Não. A maioria dos casos de lesão do manguito rotador não são cirúrgicas.

4. A cirurgia do manguito rotador tem bons resultados?

A cirurgia do reparo do manguito rotador é a cirurgia mais realizada no mundo e os seus resultados costumam ser bons e excelentes em 90% dos casos. Contudo a taxa de cicatrização do tendão varia muito a depender do tamanho da lesão, se o paciente é tabagista (faz uso de cigarro), entre outros fatores.

Back To Top