skip to Main Content

Cisto Paralabral

O que é cisto paralabral do ombro?

O cisto paralabral do ombro é uma bolsa próxima à articulação do ombro que se forma quando o líquido articular (sinovial) extravasa do seu interior. É também chamado de cisto sinovial do ombro ou cisto espinoglenoidal.

Como é formado o cisto paralabral do ombro?

A articulação do ombro é composta por diversas estruturas, entre elas o labrum, que é um tecido fibrocartilaginoso que reveste um dos ossos do ombro, a glenóide. O labrum tem como função aumentar o contato entre os ossos do ombro e consequentemente aumentar a sua estabilidade.

Lesões labrais, acabam gerando uma falha na “vedação” do ombro de tal forma que o líquido sinovial acaba saindo da articulação formando assim bolsas ao redor da glenóide. Essas bolsas são chamadas de cisto paralabral.

Quais os seus sintomas?

De forma geral, os cistos paralabrais do ombro em si não costumam apresentar sintomas. No entanto, dependendo do tamanho do cisto e da sua localização, pode ocorrer uma compressão das estruturas adjacentes, como o nervo supraescapular, de tal forma que o paciente pode apresentar perda progressiva de força no braço devido ao comprometimento do estímulo nervoso do músculo.

Além disso, como a formação do cisto paralabral se dá a partir de lesões labrais, em alguns casos o paciente pode apresentar dor, mas não por conta do cisto em si e sim pela própria lesão labral.

Como ocorrem as lesões labrais?

De forma geral, as lesões labrais ocorrem de duas formas:

  • lesões degenerativas: as lesões degenerativas labrais são lesões do envelhecimento. Ao longo dos anos a qualidade dos tecidos se degenera/envelhece e com isso pequenas fissuras podem ocorrer no labrum podendo assim o líquido intra-articular extravasar. Geralmente esses cistos paralabrais são menores e tanto a lesão labral quando os cistos costumam ser indolores.
  • lesões traumáticas: nas lesões traumáticas, como o próprio nome já diz, a lesão labral decorre de algum golpe no ombro, como por exemplo após uma queda ou em casos de luxações do ombro. Geralmente a lesão labral, por ser aguda, costuma gerar dor podendo ou não passar ao longo do tempo. O cisto é então formado progressivamente e, nos casos em que o cisto paralabral fica grande, pode ocorrer uma compressão dos nervos ao redor do ombro, mais comumente do nervo supraescapular e, dependendo do grau de compressão, o paciente pode evoluir com perda de força no braço.

Como é o feito o seu diagnóstico?

É possível visualizar cistos paralabrais no ombro na ressonância nuclear magnética, sendo esse portanto o melhor exame para o seu diagnóstico. Contudo, na maioria das vezes eles são um achado de exame, ou seja, a causa da dor do paciente é devida a outras patologias e os cistos identificados no exame não apresentam relevância clínica.

Porém, quando o paciente apresenta sinais clínicos de compressão nervosa, como perda de força e atrofia muscular, e na ressonância é visualizado um cisto paralabral volumoso com ou sem sinais de compressão mecânica do nervo (edema muscular, infiltração gordurosa do músculo), deve ser feito também o exame de eletroneuromiografia dos membros superiores, que é um exame que avalia a condução nervosa nos nervos dos braços e auxilia no diagnóstico correto na queixa do paciente.

Cisto Paralabral do Ombro | Dra. Verônica Chang
Figura 1, 2 e 3: exame de ressonância nuclear magnética do ombro com cisto paralabral volumoso

Como é feito o tratamento do cisto paralabral do ombro?

Como a maioria dos cistos paralabrais do ombro são pequenos, não causam dor e estão associados a lesões degenerativas da articulação (envelhecimento), não é necessário realizar nenhum tipo de tratamento.

Porém, quando a presença de um cisto paralabral na ressonância nuclear magnética do ombro é um indicativo/sinal indireto da existência de alguma lesão que talvez não seja tão evidente no exame de imagem, mas que pode justificar a queixa/dor do paciente, essa lesão pode ser então reparada.

Além disso, como mencionado anteriormente, em casos em que o cisto paralabral é muito volumoso e com sinais de compressão mecânica sobre o nervo, ele deve ser drenado o quanto antes e a lesão que ocasionou a sua formação deve ser reparada. Ambos procedimentos são feitos por artroscopia.

Cisto Paralabral do Ombro | Dra. Verônica Chang
Figura 3, 4 e 5: ressonância nuclear magnética do ombro com cisto paralabral drenado por artroscopia (imagens do mesmo paciente das figuras 1,2 e 3)

O tratamento ideal deve ser individualizado e definido após uma avaliação médica criteriosa.
Consulte um especialista em ombro e cotovelo.

FAQ

1. Cistos paralabrais do ombro são tumores malignos?

Não, cistos paralabrais são benignos.

2. No laudo da ressonância do meu ombro foi descrito cistos paralabrais. Devo me preocupar?

Na maioria dos casos a presença de cistos paralabrais na ressonância nuclear magnética do ombro são achados de imagem, ou seja, não apresentam relevância clínica e não devemos nos preocupar com eles. Porém, caso você apresente dor ou perda de força com ou sem atrofia muscular ao redor do ombro/escápula, é melhor que você seja avaliado por um especialista em cirurgia de ombro.

3. Os cistos paralabrais são reabsorvidos pelo corpo?

Como a formação dos cistos paralabrais decorre de lesões labrais, caso essa lesão não seja reparada, o líquido articular continuará extravasando e é muito improvável que o corpo reabsorva o/os cistos. Contudo, na maioria dos casos a presença de cistos paralabrais não demandam cirurgia.

4. Lesões labrais precisam de cirurgia?

Depende da causa da lesão labral. Nas lesões labrais degenerativas, não é necessário fazer o seu reparo. Nas lesões traumáticas a indicação de cirurgia depende se o paciente evoluiu com alguma instabilidade do ombro, com persistência da dor ou com a formação de um cisto paralabral volumoso que esteja comprimindo algum nervo ao redor do ombro.

Back To Top